Uma Luz No Fim Do Google, de João Martinho

Uma luz no fim do google. A história emocionante dentro de um livro de superação de João Martinho de um ex-dependente químico que se tornou 3X o melhor profi ssional de Google do Brasil.   uma_luz_no_fim_do_google_livro   Uma luz no fi m do google não é apenas um livro sobre vendas ou marketing digital. Ele vai muito além do que a sua imaginação pode alcançar. Esse livro fala de superação, força, determinação e o melhor com uma pitada de milagre. De forma prazerosa e descontraída, João Martinho abre as portas do seu coração para mostrar que quando se há coragem, fé e obediência a Deus. Até aquilo que era para dar errado, acaba sendo transformado em benção.   Se prepare, pegue alguns lenços de papel, uma caneta e um caderno, sua vida nunca mais será a mesma depois dessa leitura do livro uma luz no fim do google. João Martinho, por 3x foi eleito o melhor profissional de Google (SEO) do Brasil, é também CVO da empresa SEOPA, a primeira a ser reconhecida em Brasília como referência do Empreendedorismo Digital no Brasil em 2018. A empresa também foi premiada com uma honraria, a medalha JK (Juscelino Kubitscheck) neste mesmo ano no Congresso Nacional. Ele bateu vários recordes de vendas do Mercado Digital, recebendo troféus como 6 em 7, 7 em 12. Recebeu  Placa Black da Hormart, Placa da Monetizze e também prêmios de Top Afilado de vários produtos. Apenas usando tráfego orgânico, sem investir em anúncios pagos.   João Martinho já é responsável por formar milhares de alunos no Brasil e em mais 7 países no mundo, e hoje também é um palestrante bastante requisitado no Mercado.  
livro_joao_martinho_uma_luz_no_fim_do_google
“Não existe medo tão grande que a fé não seja capaz de aniquilá-lo” Apenas dê o primeiro passo! João Martinho
 

Morri e Ressuscitei

Trecho do livro Uma Luz no Fim do Google do João Martinho

Em uma outra ocasião, dois amigos chegaram na minha casa, eu já tinha bebido nos bares que ficavam próximos ao meu trabalho e da minha casa. Já era em torno das 19:00 da noite quando eles chegaram com a conversa de que queriam só beber um pouco, mas eu sabia que não era verdade.   Um tempo depois, fomos até a lanchonete para comprar drogas e ficamos ali até meia-noite, quando decidimos ir para uma boate, essas casas de prostituição eram muito comuns ali na região do CEASA. Me lembro que esse meu amigo estava de bicicleta e me ofereceu uma carona, fomos os dois muito doidos pela ponte dos remédios até que caímos da bicicleta e eu bati a cabeça na guia da calçada, era sangue para todos os lados.
 
Tiveram que chamar o SAMU para me socorrer, eles enfaixaram a minha cabeça e me levaram como um indigente para o hospital. Aquilo era um caso de UTI, no entanto eles me deixaram do lado de fora com a cabeça toda enfaixada e sozinho, pois disseram que eu não iria sobreviver. Meu amigo bem louco, havia inventado uma desculpa de que não podia ir comigo porque teria que trabalhar.
 
No outro dia, a minha mãe recebeu uma ligação anônima dizendo que eu tinha sido atropelado e estava muito mal em um hospital na Lapa, ela anotou o endereço e minha irmã foi me encontrar. Até hoje não sabemos quem ligou, o que eu tenho certeza é que não foi o meu amigo porque ele estava muito louco naquele dia. Minha irmã saiu ao meu encontro e quando chegou ao hospital disseram para ela que tinha um rapaz ali, indigente, mas que ela poderia ver se era o seu irmão. A notícia que deram para ela era que eu estava praticamente morto, não tinha mais chances de vida, tinha sofrido morte cerebral, contudo, ela foi ao meu encontro, abriu sua bíblia e começou a orar por mim, declarando Isaías 43 sobre a minha vida.
 
A minha irmã não aceitava aquela situação, e já de noite foi até a nossa casa para buscar um cobertor para mim, pois estava muito frio no hospital, e ela tinha fé que eu iria sair daquela situação. Logo depois que ela saiu, como um milagre, eu abri os olhos e comecei a me sentir preso, todo atado naquela maca não conseguindo me mexer.
 

Estava tudo escuro na Minha Frente

Não sei explicar e nem sei como tive forças, mas consegui me soltar da maca que eu estava amarrado, pulei e sai. Lembro que estava tudo escuro e parecia que alguém estava me levando até a frente do hospital, onde tinha um gramado muito verde. Não sei explicar como, mas sai daquele hospital sozinho e fui para minha casa.
 
Quando cheguei, pulei o portão e bati na porta, a minha mãe abriu e mal podia acreditar que eu estava ali na sua frente, andando e vivo. No outro dia, eu já estava bem, apenas com a cabeça rachada, mas era como se não tivesse me acontecido nada de grave, foi verdadeiramente um milagre.